Golpes do WhatsApp, como evitá-los?

Início » variados » Golpes do WhatsApp, como evitá-los?

Publicado: 06/01/2018 às 18:21

O ano mal começou e já temos várias notícias de golpes sendo aplicados no WhatsApp, como o cupom de 50 reais no Burger King e as passagens aéreas grátis na Azul. O fato é que esses golpes sempre existiram e sempre vão existir, e, se você não quiser mais cair nesses golpes o jeito é ler essa publicação com atenção e seguir as dicas que passarei.

Antes de mais nada, temos que entender quais são os golpes mais usados no aplicativo e como eles funcionam, por isso listarei dois dos principais golpes e abordarei as práticas usadas neles. Também devo lhe informar que não sou nenhum expert em segurança digital, só estou tentando passar alguns dos métodos que uso para não cair nesses golpes.

1 – Promoções

Golpe, WhatsApp

Um dos golpes mais utilizados no WhatsApp é os de promoções, inclusive esse foi um dos primeiros a ser aplicado no começo desse ano. Esse golpe se resume em enganar os usuários com promoções totalmente falsas, usando o nome de grandes empresas, como de linha aéreas, redes de fast food, montadoras de veículos, operadoras e muitas outras.

Como esse golpe funciona?

É enviado uma mensagem com um link informando que a vítima ganhou algo de uma empresa, ou que uma empresa está fazendo uma promoção imperdível e que para receber a recompensa basta clicar no link. A pessoa, ingênua, acredita e clica sem pensar duas vezes.

Ao clicar no link a pessoa é redirecionada para um site falso, que imita o site da empresa falada na mensagem. No site, normalmente são feitas perguntas para atrair a atenção da vítima e fazê-la acreditar que realmente se trata de uma empresa legítima.

Após as perguntas terminarem, o golpe começa a ser realmente aplicado: é pedido que a vítima compartilhe o link com um certo número de contatos e informe o endereço de e-mail ou número do celular. Alguns golpes mais ousados, chegam a pedir dados pessoais, como documentos e endereço. Veja os riscos de cair nesse golpe:

Compartilhar o link com os contatos: você não será afetado(a) com isso, mas estará ajudando o golpista a atingir mais vítimas, caso elas acreditem na mensagem. Caso elas não acreditem, talvez você passe um pouco de vergonha.

Informar o endereço de e-mail: o golpista poderá enviar uma mensagem falsa da suposta empresa pedindo para que você baixe e instale um programa malicioso, o qual vai lhe espionar e roubar seus dados.

Informar o número do celular: o golpista pode, além de passar trotes ou aplicar mais golpes através de ligações (como os presidiários costumam fazer), também pode cadastra-lo em serviços pagos.

Informar dados pessoais: informar dados pessoais como documentos e endereço é a coisa mais perigosa a se fazer, sem dúvidas! Caso o golpista não seja apenas um bandido virtual, pode usar as informações passadas para planejar um assalto contra você.

Como evitar cair nesse golpe?

É simples: não clique no link! Grandes empresas não fazem promoções utilizando o WhatsApp, elas utilizam suas redes sociais e sites oficiais, além de comerciais na televisão, é claro.

Porém, se você ainda acha que a promoção é verdadeira pesquise no Google para saber se essa promoção realmente existe na empresa citada. Também sempre procure pelo site oficial da empresa e compare o link com o da mensagem, por exemplo:

Site falso: http://burguer-king.com/

Site oficial: http://www.burgerking.com.br/

Além disso, sempre procure as redes sociais das empresas citadas para saber se realmente existe essa promoção. As vezes a própria empresa se manifestou falando sobre a falsa promoção que estão informando existir, assim como o Burger King fez:

Burger King, Golpe

Sempre pesquise, evite cair em uma furada!

2 – Nova versão do WhatsApp

WhatsApp Gold, WhatsApp, Malware

Esse é outro golpe bastante aplicado, ele se resume em dizer que existe uma nova versão do WhatsApp. As versões são as mais loucas e fantasiosas que existem. Tem WhatsApp Gold, WhatsApp Colorido, WhatsApp Transparente e muitos outros.

Como esse golpe funciona?

A vítima recebe uma mensagem dizendo que surgiu uma nova atualização do WhatsApp com funções que não existem no atual. Na mensagem também tem um link que oferece o download da “nova versão”.

Caso a pessoa seja ingênua e instale o aplicativo já terá caído no golpe. O aplicativo que aparentemente é uma nova versão do WhatsApp na verdade está contaminado com um malware que envia todas as informações digitadas no aparelho diretamente para o golpista. Veja os riscos de cair nesse golpe:

Instalar o aplicativo: se você instalou o aplicativo no celular, já era! Tudo o que for digitado no aparelho será espionado. Por exemplo, se você utilizar o celular para fazer compras online, o número do cartão será enviado para o golpista. A “solução” é desinstalar o aplicativo malicioso e baixar um aplicativo de anti-vírus.

Como evitar cair nesse golpe?

Basta não clicar no link, apenas ignore a mensagem. Todas as modificações feitas no WhatsApp são recebidas através das atualizações disponibilizadas pelos desenvolvedores do aplicativo na Play Store (a loja de aplicativos do celular). Não se engane pensando que essa é uma atualização oficial, pois todas as atualizações são feitas através da loja oficial de aplicativos do celular e nunca por mensagens.

Além disso, a Google, a desenvolvedora do sistema Android, recomenda que os usuários baixem somente aplicativos que estão na Play Store, pois eles são verificados e não contém malware.

Conclusão

Como dito no começo da publicação, eu listei apenas os dois golpes mais usados para fazer vítimas no aplicativo. Entretanto, você deve continuar tomando cuidado pois existem vários outros golpes. Alguns podem ser semelhantes aos golpes citados nesta publicação, já outros podem ser totalmente diferentes. A recomendação é que você sempre suspeite de mensagens estranhas que ofereçam algo, e nunca baixe aplicativos que são oferecidos fora da Play Store.

Se lembre de observar que mensagens de golpes geralmente costumam ter os seguintes aspectos:

  • Mensagem com erros ortográficos.
  • Pedem que você acesse um determinado site.
  • Pedem que você informe o número do celular, do cartão de crédito, da conta bancária, endereço ou senhas.
  • Pedem que você envie o link para um certo número de contatos.

***

Desafio: quais as diferenças entre o link falso e o oficial? Comente e prove que você é observador(a) e não vai cair mais nesses golpes!

Comentários:
Compartilhe: