10 curiosidades sobre os chimpanzés

Início » curiosidades » 10 curiosidades sobre os chimpanzés

Publicado: 05/02/2017 às 11:19

Recentemente eu fiz uma postagem aqui no blog falando sobre os gorilas (clique aqui para conferir), informando algumas curiosidades como, local onde vivem, como se alimentam, como se reproduzem e etc… Como nessa postagem eu citei várias vezes os chimpanzés, nada mais justo do que fazer uma postagem especialmente para eles, não é mesmo?

Os chimpanzés, assim como os gorilas, são os primatas que mais se assemelham aos seres humanos. Estudos apontam que os chimpanzés são parentes próximos dos seres humanos, na evolução. Eles se separaram do tronco do ancestral comum por volta de 4 a 7 milhões de anos atrás, e ambas as espécies compartilham 98% a 99% de DNA.

1 – Como e onde vivem?

Grupo de chimpanzés

Os chimpanzés podem ser encontrados em uma vasta área da África Central e África Ocidental, desde a Nigéria, a Norte, até ao território de Angola, a Sul e a Oriente, podendo ser encontrados até mesmo na Tanzânia e no Quênia. Florestas, árvores e água são fatores quase que indispensáveis para os chimpanzés, porém, existem alguns grupos que vivem acima dos 2000 metros de altitude, onde, apesar de não haver árvores, os chimpanzés se adaptaram as condições, vivendo em grutas.

Eles vivem em grupos que podem ser pequenos, com 5 ou 6 membros, ou bastante numerosos, chegando a marca de 100 membros ou mais. Na sociedade dos chimpanzés existe uma hierarquia bem definida. Se algum membro do grupo a desrespeitar fica sujeito as punições que o macho dominante do grupo entender ser a melhor. As punições podem ir desde uma simples repreensão, até a violência física, ou até mesmo ao banimento do grupo. Nestes grupos os machos são dominantes sobre as fêmeas, assim como sobre os machos mais jovens.

O machos dessa espécie também podem se unir para manter a liderança sobre o grupo, ou até mesmo para roubar a posição de líder. Para intimidar os rivais, eles se demonstram agressivos, com vocalizações altas, agitações de galhos e até mesmo atacando diretamente o alvo.

Os chimpanzés machos podem formar pares com as fêmeas, porém, a promiscuidade é comum. Há casos em que a fêmea chegou a copular 50 vezes com 14 machos diferentes, isso em um só dia. Além disso, esses animais possuem orgasmos e vocalizações específicas durante o coito.

2 – De que se alimentam?

Chimpanzé se alimentando

Os chimpanzés possuem uma alimentação bem variada, sendo as frutas o seu principal alimento. Entretanto, eles também consomem folhas, flores, sementes e insetos, como formigas, cupins e larvas. Em certas ocasiões também se alimentam de carne, variando de pequenos antílopes até a outras espécies de macacos, como o Colobus.

Esses animais possuem culturas diferentes, dependendo da região em que vivem, assim como os seres humanos, e são capazes de ensiná-las de uma geração para outra. Entre tais ensinamentos estão, por exemplo: técnicas para extrair cupins de seus cupinzeiros, utilizando gravetos, utilização de pedras para quebrarem sementes e frutos duros, entre outros tipos de ferramentas.

3 – Características

Comparação entre esqueletos

O esqueleto do chimpanzé é menos maciço do que o do gorila. Pode-se dizer que o esqueleto do chimpanzé é semelhante ao do homem, exceto pela formação característica do quadril. Eles possuem muita força física, um chimpanzé adulto pode ter de 2 a 3 vezes mais força do que um homem adulto. Isso se deve a sua anatomia muscular e cerebral, e também a seu estilo de vida semi-arborícola (arborícola é o termo usado para descrever animais que passam a maior parte do tempo em árvores), que requer muita força física.

Eles costumam se movimentar principalmente sobre as quatro patas, mantendo o corpo em posição oblíqua, como os demais antropoides, mas também podem assumir uma posição bípede (andar sobre as quatro patas, ou pernas, se é assim que podemos dizer) em certas ocasiões.

Quando estão de pé (sobre as duas patas, ou pernas) as fêmeas chegam a medir 1,30 de altura, enquanto os machos chegam aos 1,60 de altura. O peso que um macho pode alcançar ronda os 50 kg, enquanto as fêmeas, geralmente, pesam cerca de 10 kg a menos que os machos. Ambos possuem um tempo médio de vida de 40 a 50 anos.

4 – Reprodução

Reprodução dos chimpanzés

O período fértil das chimpanzés é curto, ocorrendo no auge de seu ciclo sexual, onde, se acasalarem em outra época, não gerarão filhotes. Quando a fêmea está no cio, a pele rosa (ou avermelhada), que cerca seus órgãos genitais fica inchada, o que assegura aos machos que ela está pronta para acasalar.

Conforme o período fértil da fêmea se aproxima, a inchação de seus órgãos genitais aumenta, ficando maior e mais proeminente na época da ovulação, o seu período mais fértil. O período de cio da fêmea dura de 4 a 6 semanas, e durante esse período ela acasala até seis vezes por dia, com todos os machos que compõem seu grupo. Mas, na última semana, conforme ela se aproxima da ovulação, o macho dominante do grupo guarda-a só para si, e, se necessário, até briga para acasalar.

Após a ovulação, os órgãos genitais da fêmea voltam ao normal e mantêm-se pequenos novamente, sem apresentar inchaço. Depois que o filhote nasce, ela só estará sexualmente receptiva depois de 3 ou 4 anos.

A gestação desses animais é de 8 meses, e, quando o filhote nasce, ele se apega imediatamente ao primeiro ser que enxergar. Normalmente, trata-se de sua mãe, porém, se ela morreu ou se mostra incapaz de alimenta-lo, o recém-nascido apega-se a quem substituir sua mãe.

5 – “Pulam a cerca”

Chimpanzés trocando carinhos

Entre todos os chimpanzés, o macho mais forte será o dominante do grupo e irá monopolizar todas as oportunidades de acasalamento com as fêmeas. Entretanto, as vezes elas não estão interessadas em certos machos, incluindo o líder. Assim, os acasalamentos escondidos entre a fêmea e seu parceiro favorito, fora de vista do macho dominante, é bem comum.

As fêmeas que procuram uma oportunidade de copular “clandestinamente”, sempre ficam para trás quando o grupo está em movimento. Já o macho mais jovem, com as intenções semelhantes, pode cobrir o pênis ereto com as mãos, buscando assim, uma forma de esconder suas intenções aos olhos do macho dominante.

Quando conseguem uma brecha eles copulam discretamente, fora da vista do líder do grupo. Porém, se ele for informado do fato por algum membro “dedo-duro”, ele correrá enfurecido para o local onde o casal se encontra.

6 – A inteligência dos chimpanzés

Imagem ilustrativa de um chimpanzé pensando

A inteligência de um chimpanzé é superior a da maioria dos animais, e tem sido amplamente pesquisada. Chimpanzés criados em cativeiro desde o nascimento por psicólogos, demonstram um desenvolvimento mental mais rápido do que o de uma criança, porém, isso só ocorre durante os primeiros anos. A partir dos 4 anos de idade, com o desenvolvimento da linguagem, a criança ultrapassa o chimpanzé e continua a progredir, ao contrário dele, que estaciona e não apresenta mais progresso algum.

Outro sinal de inteligência é que os chimpanzés constroem ferramentas simples, como por exemplo, emendam varas “encaixáveis” para alcançarem uma banana, quando seus braços não alcançam. Além disso, eles também tem a capacidade de reconhecerem a própria imagem no espelho (capacidade que poucos animais apresentam).

Recentemente um bonobo (uma das espécies de chimpanzé) chamado Kanzi, de 23 anos, foi criado aprendendo a se comunicar com humanos. Kanzi conseguiu dominar a linguagem dos surdos e mudos, sendo até mesmo capaz de usar o teclado de um computador para escrever.

7 – Trocam experiências

Chimpanzés

Não é muito difícil acharmos dois chimpanzés sentados um do lado do outro. Isso ocorre pois eles estão trocando experiências e se ajudando. Estudos sobre o comportamento desses animais revelam que eles trabalham bem em duplas, e depois que aprendem a realizar uma tarefa em conjunto são capazes de se ajudarem mutuamente em 97% dos casos.

8 – Brigas entre si

Chimpanzé nervoso/atacando

Como descrito na curiosidade número 5, as chimpanzés “pulam a cerca”, e, muitas das vezes, se avisado, o macho dominante vai em busca dos “safadinhos”. Porém, não é somente nessas ocasiões que eles travam batalhas. Um estudo feito por John Mitani, um membro da Universidade de Michigan, mostrou que esse animal é capaz de lutar por território, recursos extras e, como dito, para ter mais acesso as fêmeas. Ou seja, assim como os seres humanos, os chimpanzés também travam “guerras” em busca de poder e amor.

9 – Espécies

Existem duas espécies de chimpanzés, o chimpanzé-comum (Pan Troglodytes) e o chimpanzé-pigmeu (Pan paniscus) que é popularmente conhecido como bonobo.

Pan Troglodytes

O chimpanzé-comum é a espécie mais conhecida, com seu comportamento se assemelhando bastante aos dos seres humanos e compartilhando cerca de 98% a 99% do nosso DNA. Alimentam-se principalmente de vegetais, mas também complementam sua dieta com insetos e carne de outros animais. São um dos poucos animais que realizam guerras contra outros da mesma espécie. Constroem ferramentas, como paus afiados e seixos partidos.

Pan paniscus

Já o chimpanzé-pigmeu, que é conhecido como bonobo, não é uma espécie menos interessante. Eles também constroem ferramentas, as quais utilizam, por exemplo, para testarem a profundidade da água. Essa espécie é mais pacífica que a outra, e resolvem seus conflitos com menos violência. Outro fato interessante é que, vários membros do grupo, independente das diferenças de sexo e de idade, realizam sexo diariamente, sem fins reprodutivos, somente com a intenção de se relacionarem e entrarem em acordo. Ou seja, se nós fazemos as pazes apertando as mãos, esses chimpanzés fazem através do sexo.

10 – Extinção

Imagem ilustrativa de um chimpanzé triste

Infelizmente, ambas as espécies citadas a cima encontram-se em extinção. Apesar dos vasto território que ocupam, estes animais tem sido dizimados pelos humanos com a caça ilegal para fins de alimentação, fins “recreativos” e para a produção de amuletos para a medicina tradicional. Além disso, muitos ainda são capturados e utilizados nos circos e noutros espetáculos semelhantes, ou mesmo para serem criados como animais de estimação.

A Lista Vermelha da IUCN (sigla para União Internacional para a Conservação da Natureza e Recursos Naturais) classifica os bonobos como uma das espécies mais ameaçadas de extinção, com estimativas de 29.500 a 50.000 chimpanzés da espécie. Além disso, ao todo, somando as duas espécies, estimasse que exista somente 170.000 chimpanzés a viverem em liberdade.

Fontes: Wikipédia, Ninha Bio e Minilua

Comentários:
Compartilhe: